Resenha: Laços de Sangue por Richelle Mead

00:05

Sinopse: Sydney estava encrencada. Em sua última missão, ela tinha ajudado a dampira Rose Hathaway a escapar da prisão, e essa aliança foi considerada uma traição grave, já que vampiros e dampiros são criaturas terríveis e antinaturais, ameaças àqueles que os alquimistas devem proteger - os humanos. Com sua lealdade colocada em questão, Sydney se sente obrigada a voluntariar-se para uma tarefa nada agradável - ajudar a esconder Jill Dragomir, uma princesa vampira que está sendo perseguida por rebeldes que querem o poder. Caso ela seja capturada e assassinada, a rainha Lissa ficará sem nenhum parente vivo e, como manda a lei, terá de abdicar do trono - o que culminará numa guerra civil tão sangrenta no mundo dos vampiros que certamente afetará a humanidade.




Título: Laços de Sangue - Bloodlines #1
Autor(a): Richelle Mead
Páginas: 432
Editora: Seguinte
Avaliação: 3/5


Vocês já devem estar cansados de saber do amor que eu tenho por Academia de Vampiros e como a série ocupa o topo da minha lista de favoritos. Exatamente por isso não sei explicar porque enrolei tanto para ler Laços de Sangue, só sei que depois de reler VA eu não tinha mais motivos para não começar Bloodlines e assim aconteceu e como esperava o livro é mediano, mas mostra um grande potencial pro futuro. 


Sidney é uma alquimista, ou seja, faz parte de um grupo de pessoas que tenta proteger os humanos do mundo vampiros (divididos em três raças: Moroi, Strigoi e Dhampir) e todos os seus conflitos internos. Porém ela está em apuros com sua própria raça. Os alquimistas odeiam os vampiros e o fato dela ter ajudado uma Dhampira, Rose Hathaway, quebrando várias regras fez todos duvidarem da sua lealdade. 
Para provar que ela ainda é uma alquimista respeitável, Sidney se oferece para uma missão nada fácil para alguém da sua raça, passar vinte e quatro horas com um vampiro. Jill Dragomir, irmã da rainha Moroi Lissa, sofreu um forte atentado e vai ficar escondida por um tempo para se proteger e cabe a ela acompanhá-la. 

Uma coisa que aparece logo no primeiro capítulo e que eu gostei demais de ver é a exploração do mundo alquimista. O grupo e todas as suas crenças e características são muito pouco trabalhados em Academia de Vampiros, muito por causa de toda a confidencialidade que envolve os alquimista. Como já disse várias vezes, a Richelle Mead tem uma criatividade imensa de criar mundos e explorá-los, o que fica evidente mais uma vez em Laços de Sangue.

É fácil perceber, também, que a autora segue uma linha em todas as suas séries. O primeiro é sempre um livro mediano, com um plot interessante até, mas que não apresenta nada de espetacular. Só que o grande ponto é perceber o potencial criado para os outros livros e o que não falta em Bloodlines é isso. O enredo de Laços de Sangue pode até ser um pouco fraco, mas ele introduziu elementos que mostram como o resto da série pode evoluir e ser tão boa quanto a sua série de origem. 

Sempre destaquei, também, que uma grande qualidade da Richelle são os seus personagens, ela cria eles de uma forma que fica muito fácil de se importar e relacionar com eles e aqui não é diferente. A Sidney não tem a força da Rose - o que eu já esperava -, mas ela é uma boa protagonista, alguém que cresce muito e, diferente da primeira, é extremamente responsável e madura. Talvez o seu grande desafio é perder um pouco dessa rigidez e isso vai ser algo muito interessante de se ver. 
Não acho que preciso dizer o quão interessante é Adrian. Apesar de nunca ter deixado de amar o Dimitri por nenhum segundo,  Adrian conseguiu um pedacinho especial do meu coração e não tem como não amar ver ele ganhando um destaque tão grande e tendo uma nova chance na vida. Mesmo que todo o resto fosse ruim - o que não é - o livro valeria por ele. 

Não é necessário ler Academia de Vampiros antes de Laços de Sangue, mas é algo que eu recomendo DEMAIS. Primeiro porque o livro dá spoilers de toda a série o que estragaria a leitura dela em outro momento e eu acho que todos - todos mesmo - deviam ler VA, é simplesmente incrível. Segundo porque Laços de Sangue está repleto de referências dos livros de VA e é muito mais interessante ler assim.

Posso dizer que o livro cumpriu com as minhas expectativas, não foi algo incrível, mas foi muito bem feito e me deixou curiosa para as continuações. Só espero me apaixonar por Bloodlines tanto quanto me apaixonei por Academia de Vampiros
Os alquimistas lidavam com segredos o tempo todo, e apesar do meu passado cheio de percalços eu ainda era alquimista o bastante para me ressentir quando me negavam respostas. Felizmente, eu também era alquimista o suficiente para caçar as respostas por conta própria.
De repente também percebi que - tão improvável quanto parecia - Adrian e eu tínhamos muito em comum. Nós os dois estávamos constantemente encaixotados pelas expectativas dos outros. Não importava que as pessoas esperassem tudo de mim e nada dele. Continuávamos na mesma, constantemente tentando sair do caminho que os outros tinham definido para nós e sermos nós mesmos.
Estranhamente, a imagem do ‘Amor’ da pintura de Adrian me veio à memória. Pensei nas pinceladas irregulares de cor vermelha, cortando através da escuridão, rasgando-a ao meio. Olhando para Jill e para a sua dor inconsolável, consegui compreender um pouco mais a arte dele.

You Might Also Like

1 comentários

  1. Eu ainda estou lendo VA... Acabei o terceiro livro esses dias e to AMANDO! E o q foi aquele final?!!!
    Vou ler bloodlines assim q acabar academiade vampiros...
    Forever a Bookaholic

    ResponderExcluir

curta no facebook

confira o último vídeo

Newsletter