Resenha: Maybe Someday por Colleen Hoover

19:13

Sinopse: Aos vinte e dois anos de idade, Sydney está desfrutando de uma grande vida: Ela está na faculdade, trabalhando em um emprego estável, apaixonada por seu maravilhoso namorado, Hunter, e é colega de quarto de sua melhor amiga, Tori. Mas tudo muda quando ela descobre que Hunter está traindo ela e ela é forçada a decidir qual será seu próximo movimento. Logo, Sydney encontra-se fascinada por seu vizinho misterioso e atraente, Ridge. Ela não consegue tirar os olhos dele ou parar de ouvir o jeito que ele toca seu violão todas asn oites em sua varanda. E há algo sobre Sydney que Ridge não consegue ignorar, também. Após seu encontro inevitável acontecer, Sydney e Ridge encontram-se necessitando um do outro em mais do que uma maneira.
Título: Maybe Someday
Autor(a): Colleen Hoover
Páginas: 385
Editora: Ainda não publicado no Brasil.
Avaliação: 4/5 

Maybe Someday é o meu terceiro contato com a escrita da Colleen Hoover e cada vez mais me surpreendo com a qualidade das estórias criadas por ela. A autora tem uma capacidade especial de criar estórias de uma sensibilidade imensa e uma beleza maior ainda e esse livro não é diferente. Mas me conquistou ainda mais pela experiência inusitada de vir junto de uma playlist exclusiva com as músicas criadas pelos personagens durante o desenrolar do enredo, fazendo da leitura algo ainda mais especial.


Sydney tinha uma vida boa, estudava música na faculdade, tinha uma trabalho que rendia o suficiente, dividia o apartamento com sua melhor amiga e tinha um namoro estável de dois anos. E, para melhorar, passava as noites assistindo seu vizinho tocar violão com uma dedicação que nunca tinha testemunhado antes. Sem nunca terem conversado pessoalmente, Sydney começou a trocar mensagens com Rigde - o vizinho - e, depois de uma pequena pressão, aceitou ajudá-lo a escrever a letra de suas músicas. 
Depois de duas semanas, no dia do seu aniversário, Ridge conta para ela que viu diversas vezes seu namorado e sua melhor amiga a traindo na frente de sua própria casa. Sem casa, amiga, namorado ou muito menos dinheiro, Sidney acaba se mudando temporariamente para um quarto vago no apartamento de Rigde e o conhecendo melhor do que por apenas mensagens. 


Quem já é experiente no mundo literário com certeza já viu triângulos amorosos e traições por diferentes óticas e em diferentes contextos, mas é surpreendente como a Colleen Hoover conseguiu abordar esses dois assuntos de uma maneira completamente diferente. Primeiro porque não é exatamente como se houvesse alguma traição, como é dito no livro, você não pode evitar se apaixonar, não importa se você esteja solteiro ou completamente apaixonado por outra pessoa na hora que isso acontece. E é isso que quero que vocês entendam, não existe maldade no que acontece, e muito menos vilões ou culpados, o que cresce entre a Sydney e o Ridge é algo extremamente puro e sincero. Mas, ao mesmo tempo, isso não apaga o fato de que o Rigde ama - de verdade - outra pessoa. 
Eu sei que isso é confuso, mas não tem como essa situação ser simples, tanto na ficção quanto na vida real. Durante o livro você vê os personagens sofrerem com essa disputa de sentimentos entre o certo e o errado e você, como leitor, também não sabe o que pensar. Ao mesmo tempo que se apaixona pelo amor que surge entre os dois, com toda a sua intensidade e beleza, você também percebe o quanto a situação é errada. E eu gostei muito de ver a Colleen Hoover tratando esse assunto com tamanha verdade e delicadeza. 

O Ridge é com certeza o grande personagem desse livro. Toda a sua estória de fundo, sua personalidade doce e intensa, sua dedicação com a Maggie, a maneira com que ele se relaciona com a Sydney... É apenas impossível não se apaixonar por ele e entender quão difícil é a luta que acontece dentro dele. Apesar de ter sentido um pouquinho de raiva por algumas atitudes no fim do livro, não tem como isso ganhar de toda a beleza do personagem e maneira com que ele agiu por todo o resto da estória. Qualquer pessoa que conhecer o personagem vai se encantar por ele, não tem como isso não acontecer. 
A Sydney também é uma ótima protagonista, principalmente por causa da sua veracidade. Elas tem suas qualidades, mas também seus defeitos e é fiel a tudo que sente. Eu entendi tudo que ela estava sentindo e compreendi todas as suas ações, torcendo a todo momento para que as coisas dessem certo para ela.

Vamos falar agora sobre uma das partes mais importantes do livro: a música. Acho que todo mundo concorda que a música é, talvez, a melhor forma para expressar sentimentos e é exatamente por isso que ela tem um destaque tão grande no livro. Seus personagens amam música e as escrevem porque na situação em que se encontram essa é única forma que possuem de colocar tudo para fora. As cenas em que eles estavam juntos compondo são, sem a menor dúvida, as minhas favoritas da estória. Não só porque são repletas de uma intensidade surpreendente, mas também porque é delas que surgem as músicas incríveis que acompanham o livro. As letras são lindas e se encaixam perfeitamente, como também o ritmo delas, fazendo da leitura uma experiência ainda melhor. (De verdade, as músicas são tão boas que não consigo parar de ouvi-las mesmo depois de terminado o livro há alguns dias.)

Assim como em seus outros livros, a Colleen Hoover consegue mesclar gêneros de uma forma muito sutil, ela oscila entre as cenas de romance que dão frio na barriga para as cenas engraçadas e rendem boas risadas até cenas mais fortes e emocionantes. Essa mistura faz com que seja impossível largar o livro, ele realmente te prende de todas as maneiras possíveis. Mas Maybe Someday também traz suas peculiaridades, os detalhes que o diferenciam de qualquer outro e o torna especial da sua própria maneira. Apesar de o meu favorita da autora ainda ser Um Caso Perdido, Maybe Someday é para mim o que tem a estória mais linda - e muito disso se deve a existência do Ridge. Eu sei que todo mundo que ler vai concordar comigo nesse sentido.

Maybe Someday foi um livro que me conquistou, pela sinceridade da sua escrita, pelas músicas e, principalmente, pela beleza da estória que é contada. Não é um livro que mostra a perfeição das coisas, mas sim que ás vezes o certo nem sempre acontece como esperamos. Apesar de não ser meu favorito não tem como negar que ele é lindo, lindo, lindo e merece ser lido. 
Ele está me segurando agora como se eu fosse uma parte dele, uma extensão ferida do seu coração, e ele está percebendo o quanto que essa extensão precisa ser cortada.
O desejo é fácil de combater. Especialmente quando a única arma que o desejo possui é a atração. Não é tão fácil quando você está tentando vencer uma guerra contra o coração.
And if I can't be yours now
I'll wait here on this ground
Til you come, til you take me away
Maybe someday

You Might Also Like

3 comentários

  1. Adorei sua resenha! Há um tempão to querendo ler algo da autora mas não leio... Vou ganhar um caso perdido e esse vai ser meu primeiro livro dela. Mas tb quero mt ler maybe someday...
    Forever a Bookaholic
    Curta a página do blog

    ResponderExcluir
  2. Esse realmente foi o livro que mais me empolguei da Colleen, achei os outros meio mediano, mas aqui ela fugiu da linha que todos os autores de NA publicam e deu um show, realmente torço para que seja publicado. Ela explorou cisas lindas e sentimentos confusos...rs

    Andy_Mon Petit Poison
    POISON BOOKS - Eu Te Sinto (Irene Cao) bit.ly/1nkLAUU

    ResponderExcluir
  3. Esse livro parece excelente!
    Adoro essas histórias aonde a guria gosta do cara, mas ele parece impossivel ou ela não é correspondida.
    To doida pra ler esse livro, a Colleen é maravilhosa!!!
    Eu ainda não sei qual é o meu favorito... Um caso perdido acho que ainda supera. Mas outro dia eu li o Ugly Love e tb adorei então tá dificil dizer...

    http://lapiselivros.blogspot.com.tr/

    ResponderExcluir

curta no facebook

confira o último vídeo

Newsletter