Filme x Livro: Divergente

11:59

Mesmo com a decepção que tive com o terceiro livro, Divergente ainda é uma das minhas séries favoritas. A Veronica Roth criou um mundo muito bem detalhado, interessante e com personagens fortes, além de ter uma coragem gigantesca para conduzir sua estória. Por isso eu torcia e esperava para que o filme fizesse jus a sua obra original e conseguisse atingir o potencial presente no livro. E depois de ter que esperar dias para poder assistir, quando finalmente sai do cinema a única coisa que eu pensava era quão incrível foi o filme e como, apesar de alguns pequenos defeitos, eu não poderia estar mais satisfeita com o que assisti.


Um dos pontos que mais pesa positivamente na trilogia, para mim, é ter a Tris como protagonista. Em muitos livros e séries voltados para o público jovem acontece de outro personagem tomar o papel de destaque e deixar a - teoricamente - protagonista em segundo, terceiro plano. Sinceramente, quantas vezes você não se importou muito mais com o mocinho da estória do que com a narradora? Ou ficou muito mais interessado até mesmo nos antagonistas?

Mas isso não acontece com a Veronica Roth. Em nenhum momento, até a última página de Convergente, a trilogia deixou de ser a estória de Tris, do seu crescimento, da sua coragem, determinação e força. Sendo assim, um dos pontos mais necessários para Divergente era representar sua protagonista de forma fiel.
A Shailene Woodley é um ótima atriz, eu já a tinha visto em ação em The Spectacular Now e fiquei ainda mais impressionada em Divergente. Neil Burger, o diretor, sabia muito bem a qualidade da atriz que tinhas nas mãos, tanto que em boa parte das cenas ele foca muito no seu rosto tamanha a expressividade que ela demonstra, é impossível não se conectar com a personagem. A Shailene soube muito bem mostrar o crescimento da personagem, que eu acredito ser o ponto principalmente desse primeiro filme/livro, transformar aquela garota insegura e perdida em outra forte, corajosa e que tem uma capacidade física e mental de enfrentar quase tudo.

Ainda falando dos atores, preciso dizer que fiquei satisfeita com o Theo James como Quatro, mas não totalmente maravilhada. A beleza dele é inquestionável e ele conseguiu transpor muito bem o personagem das páginas para a tela, mas não roubou as cenas. O que eu não consigo decidir se é bom ou ruim. Porque ao mesmo tempo que isso tira um pouco a força do personagem, isso também mostra como o filme não se resume a - ou se foca em- somente um romance.

Eu tinha muito medo de que o filme fosse ser corrido e repentino demais, mas felizmente os roteiristas e o diretor entenderam muito bem que essa era uma estória de crescimento pessoal e, como tal, isso precisa do seu tempo certo para acontecer. Eu gosto muito, mas muito mesmo, de toda a parte que aborda o treinamento da Tris e dos outros iniciados e gostei demais que isso foi mantido de forma muito semelhante ao livro e sem pressa. Ficou fácil de entender o que estava acontece, conhecer as motivações de cada um e ver o desenvolvimento do enredo e de cada personagem.
Vi muitos críticos falando como essa calma mudou no último ato do filme e tudo ficou corrido demais. Bom, é verdade que ficou rápido, mas não acredito que corrido seja a palavra certa. Não acho que as coisas acontecerem mais rapidamente tenha sido um defeito e mesmo se fosse eles só estavam sendo fiéis ao ritmo dado pela Veronica aos acontecimentos, já que é exatamente assim que acontece no livro. Pode ser que isso incomode mais quem não a conhece a estória, os deixando mais perdidos, mas no meu caso não foi algo que incomodou.

Eu li Divergente a quase um ano e meio e por isso não posso analisar detalhe por detalhe o que está igual e o que está diferente. Também não vou entrar, novamente, naquela discussão de um que uma adaptação nunca vai ser exatamente igual ao seu livro de origem. Vou apenas dizer que o filme está fiel, mais fiel do que esperávamos e fiel o suficiente para agradar qualquer fã. Existem, é claro, aquelas coisas chatas de fã que eu mesma me vi pensando durante o filme como, por exemplo, a Abgnação não devia usar maquiagem ou que não deveria ter vermelho nas roupas da Audácia. Mas isso são bobeiras que na realidade não fazem diferença nenhuma.

Por outro lado existem algumas coisas que eu queria que fossem diferentes e me incomodaram mais, como, por exemplo, o Peter (Miles Teller) do filme não é, nem de longe, tão horrível quanto o do livro (eu senti muita falta da faca no olho) e senti falta, também, do Uriah. Mas mesmo com seus poréns, nada disso tira o fato de que Divergente é uma boa adaptação

Quero só tirar um momento desse post para falar sobre a trilha sonora. Eu já estava apaixonada por Beating Hart e Find You, mas toda a trilha do filme, instrumental ou normal, está simplesmente ótima! As canções combinam super bem com as cenas e são boas e eletrizantes. Amei, simples assim. A fotografia também está muito bonita, principalmente quando aparecem cores fortes nas cenas, assim como também gostei da caracterização de Chicago, sempre tive essa visão de que, mesmo sendo no futuro, era tudo muito simples e foi exatamente isso que o filme mostrou.

Sinceramente, eu tive uma experiência ótima assistindo Divergente. Porque mesmo sabendo o que iria acontecer eu ficava nervosa em antecipação pelos personagens, xingava aqueles que eu já sabia que eram filhos da puta e morri de amores vendo o começo de um casal pelo qual sempre torci muito para dar certo. Não tem nada como ver um mundo que você gosta tanto ganhando vida de forma fiel e bem feita.

Se você ainda não leu Divergente, acredite, apesar de tudo, é um trilogia que vale demais a chance e se você já é fã da estória, bem, pode ficar tranquilo que o filme não vai decepcionar.
E como Insurgente é o meu livro favorito dos três vocês já devem imaginar que eu estou contando os dias para a estreia.

You Might Also Like

4 comentários

  1. Foi ótimo ler suas opiniões sobre o filme... Acabei de postar as minhas....
    Acabei n escrevendo no blog mas tb senti falta do uriah....
    Divergente pra mim e o melhor dos três... Então estava super ansiosa pelo filme... E agora e esperar mais um ano!!!
    Forever a Bookaholic

    ResponderExcluir
  2. Resenha Maravilhosa do filme!!
    Eu fui ontem no Cine, e como vc, também senti falta do Uriah, da faca no olho, hehe e também da Lynn e como a Tris ganha aos poucos o apoio deles.. Gostei muito da atuação dos personagens e to doida para ler logo Convergente!!
    Só não li ainda pq o livro não chegou.. Estou encantada com os livros e quase viciada neste mundo que a autora criou.. hehe
    Tem muito tempo que não me sinto assim..

    Beijos Mila
    http://www.dailyofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Gostava de saber se a mais recente capa do livro tem influencia na história original, isto é adaptaram o livro ao filme

    ResponderExcluir

curta no facebook

confira o último vídeo

Newsletter