Filme x Livro: Os Instrumentos Mortais, Cidade dos Ossos

13:31


Desde que li Cidade dos Ossos no ano passado venho contado os dias para a estréia da adaptação e torcendo com todas as minhas forças para que fosse fiel e digna ao livro da Cassandra Clare. E o fato de todo o material de divulgação terem me agradado só aumentou ainda mais a minha expectativa para o filme e, depois de finalmente assistir, posso dizer que saí satisfeita e feliz do cinema. 
Já comentei aqui diversas vezes que nós sempre erramos ao esperar que uma adaptação seja, vírgula por vírgula, totalmente fiel ao livro que lhe deu origem. É praticamente impossível! Por isso aceito de bom grado quando mudanças inteligentes e que não interferem demais no resultado final são feitas e é isso que acontece em Cidade dos Ossos. Pode ser que por não ter a estória do primeiro livro tão fresca na cabeça tenha ajudado, ou por saber que a estória desse primeiro volume é meio fraca e inserir elementos dos outros livros com antecedência foi uma boa ideia para instigar a curiosidade daqueles que não leram a série, que no caso é a maioria. Resumindo, para mim, essa foi uma das adaptações mais fiéis que eu já vi e poder falar isso de uma das minhas séries (e personagens) favoritos é incrível.


Primeiro eu quero falar um pouco sobre o elenco que me surpreendeu bastante e de forma positiva. Eu já gostava bastante da Lily Collins como atriz e gostei ainda mais dela como a Clary, ela conseguiu transmitir três características muito importantes da personagem que é a determinação, a coragem e a dedicação para com aqueles que ela ama e se importa, e também tem uma química ótima com o Jamie. MUITA gente não gostou da escolha do Jamie Campbell Bower para interpretar o Jace e confesso que eu também torci um pouco o nariz para ele, mas a cada imagem e trailer o ator foi me conquistando e convencendo cada vez mais e agora, depois de assistir o filme, não consigo imaginar mais ninguém para o papel. O Jamie não tem uma beleza óbvia, ou clichê, e para mim isso super funciona porque eu não vejo o Jace como alguém óbvio, o personagem é muito mais sobre a sua personalidade do que sobre a sua beleza. E o Jamie consegui passar muito bem o lado irônico e arrogante misturado com momentos de sensibilidade e entrega do Jace. O que eu mais gostei é que mantiveram todas as frases mais marcantes do personagem - que vocês sabem, são ótimas -, só é uma pena que eu tive que ver dublado (ainda estou com raiva por isso) e eu não gostei nada, nenhum um pouquinho da dublagem, o dublador não sabe colocar sarcasmo na voz gente! 
Vocês sabem que eu não suporto o Simon nos três primeiros livros, mas o Robert Sheehan conseguiu fazer com que eu simpatizasse até mesmo gostasse do personagem. O Robert fez um Simon que além de nerd e apaixonado pela melhor amiga, é divertido e intenso, roubando a cena toda vez que aparece. Eu estou ansiosa para ver o crescimento do personagem nos próximos filmes. Eu não me lembrava o quão pouco o Magnus aparecia nesse primeiro livro, o que é bem triste já que ele é um dos melhores personagens criados pela Cassandra Clare e o Goadfrey Gao é lindo demais. Quanto a atuação do Goadfrey não tenho muito o que comentar já que ele aparece bem pouco mesmo, mas só não gostei e não entendi porque ele não tem os olhos de gato durante todo o tempo.


A Lena Headey é incrível - ela humilha em Game of Thrones - e é uma pena que a Jocelyn apareça tão pouco nos dois primeiros livros, eu realmente queria mais da personagem depois daquela cena foda na cozinha (sério, é muito foda). Quando ao resto do elenco não tenho muito o que comentar, só dou destaque para Kevin Zegers como o Alec (ansiosa pelas cenas com o Magnus), para a Jemima West como Isabelle (arrasando com o chicote) e para o Jonathan Rhys Meyers que eu achei um pouco caricato demais no papel. 
O filme tem um clima bem dark e sombrio que combina bastante com a estória, eu sempre tive um pouco de dificuldade de imaginar os demônios enquanto lia os livros e gostei bastante da forma que foi feito - eles dão até um pouco de medinho. Na verdade toda a ambientação tem um cuidado especial com os detalhes, o Instituto tem uma riqueza de detalhes incrível por dentro e a caracterização dos seres do submundo é bem peculiar e fiel ao que a Cassandra descreve nos livros. Além disso, os efeitos especiais estão de parabéns. 
O filme tem muita ação e com cenas de qualidade, como a do Hotel Dumort, em que os Caçadores saem chutando bundas maravilhosamente bem de tal forma que você prende a respiração até acabar. Só não gostei um pouco do fato de que - acho que propositalmente - essas cenas tem pouca iluminação, o que faz quem está assistindo ficar meio perdido no meio de tanto socos, chutes e espadas. Mas, além da ação, o filme tem muitos momentos divertidos - vide comentários irônicos do Jace e do Simon -, românticos e de mistério. É bem visível também a comparação e coexistência, que também é muito presente nos livros, desses dois mundo diferentes, o mundano e o mágico. 


Agora vêm o que eu não gostei. As últimas cenas ficaram um pouco confusas e por isso talvez quem não conhece a estória dos livros pode ficar um pouco perdido. Acho que eles correram um demais com essas cenas e deixaram de dar algumas explicações necessárias. Falando do final, muita gente com certeza não vai gostar da forma como foi nos revelado a grande surpresa dessa primeira parte da estória. Não vou falar o que é, mas quem leu o livro e/ou viu o filme entende do que eu estou falando. Eu, sinceramente, não liguei muito para isso, porque entendo o motivo de terem feito tal coisa - o filme ficaria um pouco pesado para a classificação indicativa sem essa mudança - e não acho que mude muita coisa no rumo da estória, porque, de verdade, alguém realmente acreditou que aquilo era verdade quando leu o livro? Sejam sinceros, era bem óbvio que não. Mas os personagens acreditam que sim no filme e é isso que importa. 
Achei o filme muito fiel ao livro e que, mesmo tendo mudanças e acréscimos, manteve a essência dos livros e dos seus personagens. Quem leu e conhece os livros sabe que a estória evolui a cada livro e esse mundo tão fantástico se torna também cada vez mais fascinante o que me leva, novamente, a contar os dias para a estréia de Cidade das Cinzas. Não poderia ter saído mais satisfeita do cinema, como fã posso garantir isso. Por último só que deixar a recomendação para ouvirem a trilha sonora do filme que têm músicas deliciosas e com letras lindas, vale super a pena. 
Se você também já assistiu quero saber: concorda comigo? 
                                               Welcome to the City of Bones.

You Might Also Like

3 comentários

  1. Tava indo tudo legal até você falar que não gosta do Simon.. COMO ASSIM CAROL? hahaha
    Eu assisti o filme e achei incrível, gostei bastante de todas as cenas e até das cenas que foram adicionadas... Eu também tive que ver dublado e a voz do Jace era horrível e estranha, mas em geral foi um filme ótimo! Beijos :)

    http://www.odevoradordelivros.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ashauhsashauhs Eu não suportava o Simon nos primeiros livros Igor, de verdade. Mas confesso que depois do quarto eu me apaixonei por ele, vai entender né?

      Excluir
  2. Eu queria muito assistir esse filme, mas não irei poder ver no cinema, porque ao lingo de várias resenhas que li percebi que traz alguns spoilers do segundo livro, entao eu preciso de ler ele primeiro.
    www.fofocas.literarias.blogspot.pt

    ResponderExcluir

curta no facebook

confira o último vídeo

Newsletter